A CRIATURA INVISIVEL
DO BOSQUE


"Em todo o mundo, desde as mais remotas épocas, existem relatos sobre o avistamento de criaturas fantásticas e que não existem em nosso mundo, em conjunto com o desaparecimento de pessoas sem deixar rastros, sendo em alguns casos, com testemunhas ao redor.
Segundo os cientistas, existem portais interdimensionais no universo, sendo os burados negros um deles.
Poderiam esses misteriosos portais se abrirem aleatóriamente em posições geográficas distintas, em momentos inesperados e permitir a entrada em nosso mundo de criaturas de outras épocas ou de outras dimensões?"


De acordo com o testemunho de diversas pessoas pelo mundo, e através do relato a seguir, isso realmente pode acontecer!

=================================================================================

Um amigo que conheci recentemente relatou-me este caso.
Hoje trabalhamos como professores na mesma escola.
Declaro que é pessoa culta, lúcida e pouco dada a devaneios vulgares e comuns, o que torna ainda mais extraordinária a história por ele relatada.

Em uma das inúmeras aventudas que ocorrem durante a adolescência, este meu amigo, que chamaremos de T., e vários outros companheiros que não conheci, haviam se reunido na clareira de um pequeno bosque cercado em sua cidadezinha natal para beber, rir e conversar.
Eram altas horas da noite e todos se divertiam, nada de anormal, poucas são as pessoas que nunca fizeram coisa parecida.
Aquele que era a liderança natural do grupo (sempre há um em todo o bando de adolescentes que se destaca) teria advertido a todos de como proceder se alguém, especialmente algum policial se aproximasse:

-Ninguém se apavora ou corre. Todos aqui já têm seus dezoito anos e estamos só com bebida, não tem nada de mais.
Se nos revistarem e não acharem nenhuma droga ilegal, eles vão embora e a gente continua nossa festa.

Menciono o fato porque este líder sensato foi o primeiro a correr, quando os sons começaram, e o primeiro a "ver" a coisa.

De início, pairou um silêncio pesado, quase sólido, em seguida, tudo o que se ouviu foram passos pesados e rápidos se aproximando, parecendo ser de algum quadrúpede, que fazia o chão tremer, e aqueles que olhavam na direção daquilo que se aproximava disparavam em pânico.
Quando T. olhou, o que ele viu, ou melhor, NÃO viu, o encheu de terror e eu me lembro dele se arrepiar ao me contar.
Acompanhando os sons e vibração dos passos que eram como os de um enorme touro, ele via galhos das árvores e arbustos quebrando e dando passagem a um enorme animal, e gravetos sendo esmagados pelos seus cascos... e mais nada.
Havia apenas os sinais da passagem de "algo", se aproximando veloz, mas por incrível que pareça, não havia nenhuma criatura "VISÍVEL", como se a besta que os perseguia, apesar de sólida e tangível, não pudesse ser vislumbrada por olhos humanos.

Enxergava-se através dela as plantas que ela quebrava e deformava, e ouvia-se a sua corrida veloz cada vez mais próxima, e isso era tudo, não havia nada "sólido" para ser visto.
Todos alcançaram a cerca de arame e a saltaram de qualquer jeito, muitos conseguindo cortes feios feitos nas farpas da cerca, e outro esfolados e com contusões bem sérias.
A coisa os perseguiu até ali, mas quando o último pulou a cerca, os sons cessaram e ficou tudo tão silencioso como se não houvesse nenhuma criatura viva naquele bosque.
Todos comentaram, apavorados, o fenômeno, e o que cada um disse que vira fechava perfeitamente com os outros relatos, o que exclui a hipótese de efeito do álcool e alucinações (a não ser que se acredite que essas coisas possam ser transmitidas telepaticamente).

- O que era aquilo? - alguém teria perguntado. Até hoje a pergunta permanece sem resposta.


Enviado em nome de Luiz Hasse - Brasil