A VISITA DO SACI

"O que é lenda e o que é realidade? Dizem que toda lenda foi criada com base em acontecimentos. Então, por mais fantásticas que sejam as lendas, todas tem como base a realidade, mesmo que seja sobrenatural!"

O relato a seguir é sobre uma dessas lendas.

 

Vou relatar os fatos, e dar a minha opinião particular, deixando para cada pessoa que ler ter sua própria interpretação da forma que lhe for mais conveniente.

Tudo aconteceu no ano de 1968, quando eu tinha 8 anos de idade.

Na época, meu pai possuía uma chácara em Amador Bueno (Coordenadas: 23°32'10.21"S, 46°59'15.14"O), distante aproximadamente 45 km do Centro de São Paulo, em direção à São Roque.
Naquela época a região toda não possuía muitas casas, predominando a mata, muito verde, árvores diversas e vegetação típicas da região, pois ainda não haviam iniciado o desmatamento que existe atualmente.
Na Chácara do meu pai existiam duas casas, sendo uma para o caseiro e sua família, e a outra para ficarmos quando passávamos o final de semana lá de vez em quando.

Ao redor existiam outras chácaras, e bem próximo existia um curral onde eram deixados alguns cavalos.
Em um determinado fim de semana fomos para lá, eu, meu Pai, minha Mãe, minha Avó (mãe da minha mãe), minha Tia (Irmã da Minha mãe) e seu filho, que logicamente era meu primo, que se chama Vanderlei.
Eu e o Vanderlei sempre gostamos de histórias de fantasmas e do sobrenatural em geral, estando sempre por dentro das lendas e características dos personagens, como Vampiros, Lobisomens, etc...

Nós brincávamos muito sobre isso sempre que um dormia na casa do outro. Era muito divertido na época.
Naquele final de semana, especificamente no Sábado, passamos o dia brincando na chácara, e quando chegou à noite fomos tomar banho, jantar e mais tarde ficamos conversando na sala que ficava na parte frontal da casa.
As outras pessoas estavam na cozinha, que ficava no final de um corredor, do outro lado da casa.

Era mais ou menos umas 22:00' horas, quando começamos à ouvir um assobio vindo do lado de fora da casa, um pouco distante. Ficamos prestanto atenção e acompanhando aquele assobio, quando de repente, o assobio foi chegando mais perto, cada vez mais perto da casa.
Então nós comentamos um com o outro, em tom de gozação, se poderia ser um Saci, coisa que não acreditávamos muito que existisse, pois parecia fantástica demais essa lenda.

Então em um determinado momento, o assobio chegou tão perto, que parecia vir do outro lado da porta de fora da sala, bem na varanda.
Eu e o Vanderlei ficamos arrepiados com aquele som, e com muito medo fomos dar uma olhada pela janela, estando muito escuro do lado de fora. Por este motivo não conseguimos ver nada.
Em seguida, o assobio foi se afastando, enquanto os cavalos que estavam no curral ficaram agitados, relinchando e correndo como loucos.

Depois ouvimos mais alguns barulhos, como se fosse alguma coisa correndo, pulando e batendo madeiras.
Contei para o meu pai e para a minha mãe, e eles não quiseram que saíssemos para fora, dizendo que de manhã cedo eles iriam ver se algo errado aconteceu.
Então fomos dormir, mas morrendo de medo daquele fato estranho que havia acontecido.
Quando amanheceu, no Domingo, fomos logo examinar os arredores para ver se encontraríamos algo de anormal.

Foi quando, por espanto, vimos no curral, todos os cavalos com suas crinas amarradas com pequeninos nós, sendo que a mesma coisa aconteceu com seus rabos.
Não havia um cavalo sequer que não tivesse ficado com suas crinas e rabos com nós.
Bem, diz a lenda do Saci, que ele gosta muito de brincar com os cavalos, e quando ele aparece, monta nos cavalos e dá nó em suas crinas e rabos.

Então eu pergunto para quem é cético e não acredita em nada:

Se não foi o Saci (por incrível que pareça), então o que foi aquilo, e quem ou o que teria amarrado todos os rabos e crinas dos cavalos que estavam naquele curral, sendo aproximadamente 8 cavalos, com pequininos nós, minúsculos mesmo?

Acredito eu que ninguém passaria a noite toda dando minúsculos e precisos nós nos pêlos dos cavalos, e ainda no escuro, só por brincadeira, e ainda com aquela precisão toda com que foram feitos.

Agora, que é incrível, sei que é, mas que aconteceu, garanto que aconteceu.

Inclusive se quiserem entrar em contato comigo, tanto eu, como meu primo Vanderlei, que estamos hoje com mais de 40 anos de idade, poderemos contar esta história novamente e afirmar sua veracidade.

Para reforçar a veracidade deste relato, não omiti nomes nem tão pouco o local onde ocorreram os fatos, deixando bem nítido para quem quiser analisar.

É claramente sabido que muitas coisas estranhas acontecem no mundo, várias sem explicação.
Porisso que uma das frases mais verdadeiras que vi até hoje, é que "A VERDADE ESTÁ LÁ FORA".
Basta ter coragem para "sair" e vê-la.

E para mim e meu primo, foi o que aconteceu realmente.

 

Antonio Carlos - Osasco - SP - Brasil

                                       

 

 

 

 

 

Cemitérios
Ovni's e Alien's
Principal