OS VISITANTES

 

 

 

Cerca de 5 anos atrás, o meu então marido e eu nos mudamos para uma casa. O nosso quarto era em cima da sala da TV que tinha uma porta para fora que nós usávamos ao invés da porta a frente. Meu marido sempre sai de casa para trabalhar as 5:30am e eu ficava na cama até a hora de eu me arrumar para o trabalho. Numa manhã, após 10 minutos depois dele ter saído, eu ouvi ele voltar e ligar a TV. Eu então ouvi ele subindo a escada e no topo da escada parecia que ele estava arranhando o tapete como se fosse um cachorro. Eu não estava sonolenta, mas não conseguia me mover. Eu não posso descrever o que eu senti. Eu estava apavorada e havia uma sensação de maldade, como eu nunca havia sentido ou imaginado antes. Quando eu finalmente pude me mover, o som de algo arranhando o tapete tinha sumido e não tinha ninguém no apartamento, somente eu. A TV estava desligada e a porta da sala da TV trancada.

Toda manhã a partir desse dia, quando o meu marido saia para trabalhar, esses "Visitantes" apareciam. E toda vez eu não conseguia me mexer. Uma vez tinham 3 pessoas, altas e magras, vestidas de preto, paradas na entrada do quarto, sussurrando e olhando na minha direção. A gota d'água foi quando as mesmas 3 pessoas me visitaram de novo e uma veio na minha direção. Ele me olhou e sussurrou algo, mas até hoje, eu não consigo me lembrar o que ele disse, só me lembro que era algo ameaçador.

Meu marido e eu estávamos quase prontos para nos mudarmos. Depois do ultimo incidente, eu não conseguia mais agüentar e contei tudo para ele sobre o que tinha acontecido todas as manhãs depois que ele saia. Eu contei pra ele que eu estava assustada porque eu sentia que se aquelas pessoas soubessem que íamos mudar, algo terrível aconteceria comigo. Ele apenas riu de mim falando que eu tinha imaginado tudo, mas para a minha sorte nós nos mudamos no dia seguinte. Talvez ele estivesse certo e eu tinha imaginado tudo aquilo, mas eu não acho que eu poderia imaginar aquilo que eu tinha sentido, e eu espero nunca mais sentir aquilo de novo.


Anônimo - Brasília - DF

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

1