O SOTÃO DE CASA

"Quem garante que não possamos ser transportados para outra dimensão, mesmo temporariamente, dentro de nossas próprias casas?"

O acontecimento descrito a seguir descreve um desses possíveis fatos:

A seguinte história aconteceu em um hospital aqui de São Paulo e é verdadeira.

A minha família tinha acabado de se mudar para uma nova casa. Nessa casa tinha um sótão, coisa que eu nunca tinha visto em uma casa antes, a não ser em filmes.
A minha irmã e eu decidimos que íamos fazer dele o nosso quarto, já que era grande e espaçoso.
Era bem bonito lá em cima. Tinha um chão coberto por tacos de madeira e o teto era alto.
Tinha um par de janelas de cada lado dele, o que deixava bastante luz entrar durante o dia, e de noite a luz da rua iluminava bastante o quarto também.
Então o lugar não era escuro e nem um pouco assustador ou macabro, e em nenhum momento nos fomos forçadas a ir lá pra cima. Nós realmente estávamos empolgadas em fazer o "nosso" quarto lá.

Depois de tudo arrumado, nós fomos para lá e nos arrumamos para dormir.
As nossas camas eram paralelas e ficavam a uns dois metros de distância uma da outra.
Nós apagamos a luz e deitamos para dormir. Foi quando toda a coisa estranha começou.

Eu estava deitada com os olhos fechados, e do nada, eu comecei a ficar com medo.
Eu abri os olhos e não podia ver nada. Era como se eu estivesse em uma caverna escura, com total ausência de luz. Estava escuro feito piche. Eu até coloquei a minha mão na frente do rosto, mas não podia ver ela.

Enquanto eu estava lá deitada, tentando entender porque não tinha luz nenhuma no quarto, eu comecei a ouvir barulhos. Parecia com o som de caixas deslizando pelo chão de madeira.
Eu ouvi aquilo por pelo menos mais 10 segundos e pensei que estava na hora de sair de lá.

Eu chamei a minha irmã. Ela não respondeu. Eu chamei ela de novo. Ela continuou não respondendo.
Eu chamei pela terceira vez, e levantei o mais rápido possível.

Quando eu cheguei na base da escada para o sótão, eu chamei a minha irmã de novo.
Dessa vez ela respondeu. Eu falei "Vem pra cá AGORA!" Ela veio correndo feito eu tinha feito.
Nós acordamos a nossa mãe, e como estava no meio da noite, ela pensou que a gente apenas estava com frescura e medo do escuro, e que nós tínhamos tido um pesadelo.
Não preciso dizer que no dia seguinte nós tiramos as camas lá de cima.

Mas esse não foi o fim da história. A minha irmã tem a versão dela. Ela também ficou assustada do nada um pouco depois que a gente apagou a luz e abriu os olhos dela. Ela também não podia ver nada, já que o sótão estava escuro feito piche. Ela também ouviu o som de caixas deslizando pelo chão.
Mas o mais estranho de tudo foi que ela NÃO me ouviu chamar ela, nenhuma das três vezes que eu estava lá em cima!

Mas ela me ouviu correndo de lá de cima, mas só que ela também ouviu o som de mais alguém descendo a escada, vindo logo atrás de mim!

O que seria aquilo que saiu correndo junto comigo, e porque minha irmã não ouvir chamá-la quando precisei?
Teríamos ficado temporariamente em outra dimensão dentro da casa?

 

Anônimo - RS